domingo, 6 de novembro de 2016

Alquerque inscrito na pedra.

Já joguei alguns dos jogos considerados entre os mais antigos feitos pelo homem, como o Jogo Real de Ur e o Senet. Ambos já eram jogados a mais de 3500 AC. O primeiro descoberto no que hoje o Iraque e foi a Suméria, o segundo no Egito. São considerados jogos clássicos, antepassados de jogos modernos ou então mais modernos, como neste caso o jogo Ludo. O povo daquela época, também se procurava com entreter-se, e nada melhor que os jogos de tabuleiros, note lá a quanto tempo estão entre nós.

Dai que nas indas e vindas da história, povos invadindo outros povos, sua cultura migra junto e os legados ficam para a posteridade. Parte dessa cultura eram os jogos, o que por vezes não nos damos conta disso, mas dai temos o Alquerque ( criado no Egito por volta de 3500 atrás),  jogo que foi para a Europa aproximadamente no século VIII, de mala e cuia junto com as invasões árabes na península Ibérica, bem provavelmente no dorso de um dromedário, numa certa tarde ensolarada ou talvez de manhã, ou ainda então se chover a tarde vieram de manhã, mas o que importa que chegou e ficou.

Tido como o antepassado do jogo de Damas, provavelmente também do jogo da Trilha, a ideia básica e pular sobre as peças do oponente para captura-las. Seu funcionamento é bastante simples,  o que manda é a tática, a observação, saber aproveitar as oportunidades.
Bom, é nessa assimilação pelos nativos da região, que o jogo ficou e continua presente até os dias de hoje e diferente do que normalmente entende-se por um tabuleiro, a figura formada pelo tabuleiro ( imagem abaixo) é normal ser encontrada, inscrita em pedras, lages onde desde há muito tempo, o povo senta no seu entorno e vai disputar partidas do Alquerque.




Ilustração do tabuleiro.


Não foi exatamente a idade do jogo que me levou a escrever sobre o assunto, mas sim essa história do tabuleiro inscrito em pedra desde a muito tempo,  e continuar a ser usado por gerações e gerações. A fonte de inspiração foi por conta de  um artigo compartilhado pelo amigo Fábio Boldo, professor, que curte muito o assunto medieval. Li a matéria publicada pelo site Sulinformação ( dá uma olhada também), achei interessante e relevante, afinal tenho que fazer justiça ao nome do blog Mundo do Tabuleiro.

Olha ai um exemplo.

Fica ai a informação, fazer uma versão do jogo realmente não é difícil, ai pode testa-lo e quem sabe adiciona-lo a sua coleção caso não o conheça ainda.

Abraço!




4 comentários:

  1. É isso aí seu hermes, sempre com novidades interessantes para nós, muito obrigado abç dieter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, ilustre presença, obrigado Dieter!

      Excluir
  2. Também deixo aqui meu agradecimento ao amigo Hermes, o gosto por jogos de tabuleiro sempre acrescenta em termos de conhecimento, cultura e afins. Forte abraço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem porque Fábio, o Brasil precisa muito de bons professor livres de ideologias, no que tange história e fico contente em conhece-lo por essa luta.

      Excluir