domingo, 5 de maio de 2019

Tipo volta ao passado.

Lançado no mercado americano no último dia 26 de abril, o jogo Wacky Races - The board Game, que remete a infância de muitos de nós, com a animação que era transmitida pela televisão nos idos dos anos 70 e 80 do século passado ( ai ferrou, rs), chamada "corrida Maluca". Trata de uma corrida onde diferentes tipos buscavam a vitória a qualquer custo, tem o emblemático Dick Vigarista, que trapaceava o tempo todo fazendo justiça ao seu nome.



Vale conferir, o jogo comporta de 2 a 6 jogadores a partir dos 8 anos, muito rápido, anunciado de 10 a 15 minutos. Criado por Andrea Chiarvesio e Fábio Tola, esse carinha ia, é muito conhecido no meio gamers brasileiro, isso é bacana, parabéns. A editora é a Cmon Limited.

Um ponto bacana são as miniaturas, relembra bem as caricatas figuras da animação. A mecânica fica por conta de jogadas programadas, o que confere certo grau de estratégia e diversão, lógico modelado a idade proposta.


E segue o jogo, boa diversão.

Fonte BGG.

sábado, 12 de janeiro de 2019

Eu gosto do tema....On Mars.

Um sonho muito antigo que ganhou muita projeção nos últimos anos é chegar a Marte, planeta que  figura como o mais promissor destino no Sistema Solar. O polêmico projeto de levar colonos a Marte em uma viagem só de ida, ajudou a resgatar essa velha aspiração e a humanidade cada vez mais se aproxima desse objetivo, muito evidente para quem de alguma forma acompanha matérias  e documentários sobre o assunto, coisa de nerd mesmo.

Passando para o campo da ficção cientifica,  surgem filmes a citar a interessantíssima série Marte, ou o filme Perdido em Marte entre outros, e dai não era de se esperar outra coisa que não motivar os autores de jogos de tabuleiros, surgem ai diferentes títulos.

Terraforming Mars, First Martians, GOLEM, Emissary, Dig Mars isso de 2013 para cá, cada qual com uma abordagem diferente, embora o objetivo seja um só quase sempre, colonizar Marte.

Para abril de 2019 outro lançamento que me chama atenção, On Mars. Obra do renomado autor Vital Lacerda, que trabalha muito bem em jogos com grande  gama de variáveis e opções de jogada.
É um jogo de controle de área, retirada e entrega, movimento ponto a ponto entre outros mecanismos, vai de encontro com exploração, construção, industrialização em síntese desenvolver a colônia em Marte.

Tudo se passa a partir de 2037, logo ali, já com uma colônia base funcionando em Marte , a partir  da qual no comando de sua companhia, o jogador deve obter os recursos para concretizar a colonia, pesquisar novas tecnologias, equipamentos, novas edificações, trazer novos colonos, sempre no entanto com certo grau de escassez, o que quer dizer que nada é fácil no jogo, mas com promessas de pode melhorar ( tipos de construção), focados no entanto em seus objetivos secretos, a agenda da companhia para a qual trabalha, parece que temos algo sinistro aqui.



Acho que já dá para ficar antenado, dica dada, caso ainda não tenha visto nada sobre o jogo. Como já disse gosto do tema, gosto das mecânicas e juntando tudo isso, temos aqui um jogo no mínimo interessante.

Depois diga lá o que achou.

Autor Vital Lacerda
Comporta de 2 a 4 jogadores
Tempo de duração da partida de 90 a 150 minutos.
Idade sugerida a partir dos 14 anos.



Abraço!

Fonte BGG


domingo, 6 de janeiro de 2019

37 Anos do Clube Somnium.

Está é uma pequena nota para desejar Feliz Aniversário para o pessoal do  Clube Somnium que completou 37 anos de existência dedicado aos jogos de guerra, plastimodelismo, entre outras atividades. Esse povo se reúne desde os anos oitenta para jogar e mantém o grupo em funcionamento desde então.


Parabéns e que venham mais tantos anos para o grupo.



Outra postagem falando sobre esse grupo, neste link.




Abraço!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

New Frontiers, nascido de clássicos.

Tomas Lehmann que para mim dispensa apresentação por conta de um dos meus jogos favoritos, Race for the Galaxy, tem tateado em diferentes frentes, sempre com o pano de fundo sendo seu afamado jogo.

Além das diferentes expansões criadas para o Race, desenvolveu o Roll for the Galaxy quando o jogo passou de cartas para dados, não joguei, mas está ai para ser experimentado, como gosto de jogos que fazem uso inteligente de dados, acredito ser um jogo também interessante.

Já com New Frontires, Lehmann nos presenteia (estou antecipando), com a versão em tabuleiro modular, cheio de variáveis e a fulminante rapidez do Race. Ele deixa claro que há inspiração no Puerto Rico ( baita jogo e clássico consagrado), mas convenhamos o sistema de escolha de ações do Race já deixava isso bem evidente.

Nesse jogo a preocupação é permitir que o planejamento tenha vez, fugindo um pouco do caos que parece dominar o Race. Isso quer dizer que os jogadores vão planejar e chegar a resultados, sem depender da necessidade dessa ou daquelas cartas, reclamação de muitos, mas que na realidade está mesmo associado a curva de aprendizado para o Race, em síntese o jogador vai construir seu império galático.

Abre-se espaço para o jogador mais casual, mais euro, acostumados aos jogos de tabuleiros, tanto que houve preocupação em simplificar e tornar mais intuitivo a simbologia empregada no jogo de cartas. Pode que para os amantes do Race isso seja um ponto desfavorável, mas na certa vai chamar atenção de muita gente que gosta da temática do jogo e fica meio embaralhado com essa iconografia.

Mas para não decepcionar justo os fãs os combos vão estar presentes e garante assimetria de sobra para o jogo. Muito do que existe no universo do Race, faz parte deste projeto de Lehmann  e novidades como os colonos ( aqueles do Puerto Rico), devem ser usados para tornar os mundos ativos, além dos custos tradicionais em recursos.

A ordem de jogar também difere e obedece uma escala de posição na qual o jogador tem a capacidade de mudar, porém gastando jogadas, desta forma poderá buscar certas vantagens e passa a ser elemento estratégico e não aleatório.


Gostei de tudo que li a respeito do jogo, sou vidrado na ficção e agrada muito o estilo do Race, então acredito que teremos sim um jogo muito interessante, com todos os elementos tradicionais de um clássico como Puerto Rico somado a outro clássico que é Race e em nada é apenas uma junção dos dois jogos, mas um agradável jogo de tabuleiro de temática espacial, somado com a proposta da alucinante velocidade do Race for The Galaxy.

Dizer que é apenas uma nova roupagem é exagero, mas que nasceu inspirado em grandes jogos  não tenha duvidas, esse vai figurar entre os grandes jogos, pelo menos tem tudo para isso.

Estava previsto ser lançado em fins de 2018, então de olho nele.

Abraço!


Autos Tomas Lehmann
Jogo para 2 a 5 jogadores.
Duração de 45 a 75 minutos.
Idade sugerida 13 anos.
Mecanismo principal, Ordem de Fase Variada.


Fonte BGG

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

III ItaipaWars

Para quem gosta ou tem curiosidade sobre jogos de guerra, de primeiro de fevereiro ao dia 3, em Itaipava -RJ,  estará acontecendo o terceiro evento ItaipaWars.

O povo que vai participar é especialista em jogos de guerra como os hex and counters entre muitos outros. Organizado pelo pessoal do Ludubellun, tradicional grupo de jogos de guerra, na certa vai rodar muita estratégia  e diversão.

Deixo bem claro que mesmo que você não tenha conhecimento, mas é curioso sobre o assunto militaria e os jogos de guerra, vai achar entre os participantes gente bem amigável e disposta a trocar ideias e ensinar sobre os jogos.

Para maiores informações procure o seu Francisco do Ludubellun.



Fica a dica!


Link para a chamada do II ItaipaWars
Link para relatos do primeiro evento ItaipaWars.
Link para a chamada do primeiro ItaipaWars.



Abraço!